O filme The Handmaid’s Tale dos anos 90

O filme de Volker Schlöndorff foi a primeira adaptação audiovisual do livro The Handmaid’s Tale, da autora canadense Margaret Atwood. Lançado em 1990, ganhou título no Brasil A Decadência de Uma Espécie.

Com o lançamento apenas cinco anos depois da obra original, o filme The Handmaid’s Tale não agradou muito a crítica: a sua aprovação no agregador Rotten Tomatoes marca 32% de aprovação da crítica e 43% da audiência.

Basta uma olhada nas capas do filme para se ter a impressão de que o filme não irá respeitar o conceito da história original.

Capa do filme The Handmaid's Tale de 1990 mostra a atriz principal nua com um tecido que cobre os peitos
Por que colocar a mulher vítima de abuso sexual nua, enrolada em um pano?

Versão problemática

O universo construído por Atwood, cheio de detalhes, precisa ser bem apresentado para o espectador que não conhece essa nova realidade. Existem fatos da vida da protagonista que moldam a narrativa, além de a história ser contada da sua perspectiva. Nada disso é bem desenvolvido por Volker, que ignorou, por exemplo, a ideia do roteiro de Harold Pinter sobre ter uma narração em off de Kate, nos mesmo moldes que vemos na série.

O relacionamento de Offred, aqui chamada Kate, com os personagens masculinos é instantâneo e ridículo. Além de tudo a personagem é meio apática. A direção não faz jus ao elenco que tinha disponível.

O filme mal toca na questão do feminismo, esquecendo até da frase icônica de Handmaid’s: Nolite Te Bastardes Carborundorum. Também abandona a problematização em torno do fundamentalismo religioso, que é a base do regime totalitarista teocrático de Gilead.

Capa alemã do filme The Handmaid's Tale dos anos 1990, mostra uma mulher nua com as mãos amarradas para trás
Quão inadequado é essa capa quando na história a personagem é objetificada, estuprada…

O final do filme toma liberdades imensas e a impressão que fica é que não queriam deixar um final tão aberto quanto o livro. Medo de decepcionar o público, influência de uma linguagem cinematográfica hollywoodiana ou ordens do estúdio? Não dá pra saber, mas o resultado é decepcionante.

Já sabia da existência desse filme? A gente comentou mais sobre ele no canal do YouTube, veja:

Nossa análise completa sobre A Decadência de Uma Espécie
Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *