Mostra Imagem dos Povos mergulha nos filmes dirigidos por mulheres

A programação conta com 48 filmes de 10 países, todos dirigidos por mulheres, e homenagem à pioneira do cinema, Alice Guy-Blaché. A entrada é gratuita e os ingressos são distribuídos 30 minutos antes das sessões

ATENÇÃO! A sessão comentada com a cineasta Ana Luiza Azevedo, sobre o filme Aos Olhos de Ernesto, está cancelada devido às precauções contra o Covid-19

PROGRAMAÇÃO COMPLETA
8 a 19 de março
Terça a domingo, 17h e 19h
MIS Cine Santa Tereza
Entrada gratuita (retirar o ingresso 30 minutos antes de cada sessão)

Uma das mais tradicionais mostras de cinema de Belo Horizonte celebra sua nova edição partindo do protagonismo das mulheres diretoras de filmes – longas, curtas, médias, o que for! É a Imagem dos Povos – Mulheres, que coroou a programação com uma homenagem à pioneira do cinema ficcional, Alice Guy-Blaché.

Não conhece Alice Guy-Blaché? Tem vídeo no MIXIDO falando um pouquinho sobre a carreira sensacional dela:

Entre os filmes inéditos e pré-estreias, está Aos Olhos de Ernesto, de Ana Luiza Azevedo, coprodução Brasil/Uruguai que conta com delicadeza a relação fraternal entre um senhor e uma jovem – a sessão será comentada pela diretora. Outro filme que terá pré-estreia na mostra é Três Verões, de Sandra Kogut, que tem no elenco Regina Casé.

A mostra é uma chance imperdível também de conferir a estreia nacional de Be Natural – A História Não Contada de Alice Guy-Blaché, dirigido por Pamela B. Green. Como o nome já indica, o documentário traz a vida e obra da cineasta francesa à luz, fazeno uma justiça tardia sobre essa grande personagem da história do cinema.

Películas de diversas partes do mundo completam a programação, incluindo o sucesso mexicano A Camareira, de Lila Avilés, o escolhido do México para representá-los no Oscar, e o peruano Canção sem Nome, de Melina Leon, que foi exibido na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes do ano passado, e é a obra escolhida para encerramento da mostra.

Outro destaque é o longa Deus é mulher e seu nome é Petúnia, de Teona Strugar Mitevska, coprodução Bégica/Croácia/França/Macedônia, que aborda os desafios das mulheres em lugares onde as tradições locais as excluem.

A seleção dos títulos foi organizada em três programas: Panorama Mundial, Panorama Brasil e Cinemateca. Panorama Mundial e Panorama Brasil apresentam as tendências da produção audiovisual. Já o Cinemateca apresenta a francesa Alice Guy-Blaché, primeira cineasta de ficção da história. São 28 filmes com sua direção e quatro filmes que contextualizam a sua trajetória. Este último programa também será exibido na internet, no site oficial da mostra.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *